sábado, 24 de janeiro de 2015

O ICCS é premiado no edital Manoel Faustino pela SEPROMI


manuel-faustino-arte-2-1024x935 

A Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado (Sepromi) divulgou, nesta quinta-feira (22), as entidades da sociedade civil vencedoras do EDITAL “Prêmio Manuel Faustino”, que tem o objetivo de estimular e divulgar experiências voltadas para o empoderamento político e social da juventude negra. A solenidade de entrega será realizada em março deste ano.
As organizações selecionadas são Instituto Casa da Cidadania de Serrinha (ICCS), Conselho das Associações Quilombolas do Território Sudeste da Bahia, Instituto de Desenvolvimento Sustentável Baiano (ISDB), Instituto COMVIDA, Associação Cultural Bantu, Associação de Desenvolvimento Comunitário São Sebastião e Pratacatum.
A Sepromi destinará, por meio do prêmio, um total de R$ 70 mil, além de publicação de matéria especial em catálogo impresso e participação em documentário gravado em DVD, contendo narrativas e depoimentos das pessoas envolvidas no projeto. O concurso integra as ações do Plano Juventude Viva na Bahia, direcionado ao enfrentamento à violência contra o segmento.

Seleção

Para participar do concurso, as organizações candidatas tiveram que demonstrar experiências com resultados efetivos relacionadas à juventude negra. A seleção das instituições foi feita mediante edital e avaliação de uma comissão composta por representantes da Sepromi e profissionais que lidam com a temática, como a jornalista Cleidiana Ramos, a mestra em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo da UFBA, Carla Akotirene, além do ator, diretor e dramaturgo baiano, Ângelo Flávio.
Manuel Faustino
O prêmio é uma homenagem ao jovem negro que figurou entre os líderes da Revolta dos Búzios, ocorrido na Bahia, entre 1798 e 1799. Juntamente com Lucas Dantas, Manoel Faustino, Luís Gonzaga e João de Deus, teve seu nome incluído no Livro dos Heróis Nacionais, em março de 2011, por meio de lei federal sancionada pela presidenta Dilma Rousseff. Nascido em Salvador, Manuel Faustino era filho de escrava liberta e pai desconhecido.

fonte: SEPROMI

Nenhum comentário:

Postar um comentário